terça-feira, 2 de junho de 2009

Lua-de-mel em Veneza >> Marina Colasanti

Na mesa à minha esquerda
as duas americanas
remexem nos pratos
com medo da comida
medo do garçom que canta
medo do vinho
do sol
da falta de ketchup
.
À direita
na mesa
as alianças do casal brasileiro
brilham novas
a gomalina no cabelo dele brilha
antiga
os olhos não se buscam
embora as mãos se toquem
por cima da toalha
e em pleno meio-dia
a lua não é mel
Começa em quarto minguante
um longo silêncio conjugal
.
***
" A poesia não está somente onde
nos acostumamos a procurá-la
na dor de amor, na estrela d´alva,
na luz do amanhecer ou nas campinas em flor.
A poesia está também onde parece difícil vê-la
porque vestida de chita e não de dourado,
nos fatos do cotidiano,
nos gestos mais simples do dia-dia."

* Poeta Marina Colasanti
.
***

Um comentário:

Meméia disse...

Marina Colasanti ultrapassa toda a lógica e a razoabilidade, por isso é absolutamente P O E T A!!! Adoro, adoro...