quarta-feira, 19 de maio de 2010

IGUAL - DESIGUAL Eu desconfiava:

Todas as histórias em quadrinho são iguais.
Todos os filmes norte-americanos são iguais.
Todos os best-sellers são iguais.
Todos os campeonatos nacionais e internacionais de futebol são iguais.

Todos os políticos são iguais.

Todas as mulheres que andam na moda são iguais.
Todos os sonetos, gazéis, virelais, sextinas
e rondós são iguais
e todos, todos
os poemas de verso livre são enfadonhamente iguais.
Todas as pessoas do mundo são iguais.
Todas as fomes são iguais.
Todos os amores são iguais, iguais, iguais.
Iguais todos os rompimentos.
A morte igualíssima.

Todas as criações da natureza são iguais.
Todas as ações, cruéis, piedosas

ou indiferentes são iguais.

Contudo o homem não é igual a nenhum outro
homem, bicho ou coisa.
Ninguém é igual a ninguém.
Todo o ser humano é um estranho
Ímpar.
.
*Drummond
.
***

Um comentário:

Odara disse...

Adoro esse verso do Drummond, aliás adoro Drummond em geral, tudo dele!

Parabéns pelo blog, você se supera a cada dia.
Sinto-me honradíssima por aparecer com a bandeira do estado que tenho tanto orgulho.