terça-feira, 10 de agosto de 2010

Um tiro no peito de Marina Eiró
A dor de Marina Eiró > não é só dela. É um tiro (que dói) no peito de Belém.
(Sra. Governadora > ACELERE a segurança do PARÁ!)
.
***

5 comentários:

Lígia Saavedra disse...

Tiros da ausência de segurança com
as armas da vergonha municiadas de balas sem calibre e sem carater algum.
Revolta, muita revolta, amigo Poeta.

Lorinha disse...

Revoltante, nós é que estamos presos ...presos na insegurança e os bandidos estão soltos.

Anônimo disse...

A desculpa é que o Brasil está assim.O caso é que moro em Belém, a minha vida está em Belém inteiramente insegura.E esse governo parece só pensar em eleição.Essa governadora é completamente alheia aos problemas de seu povo. E com todo o respeito,
é definitivamente despreparada para
o cargo.
Eliza Coutinho

Odara disse...

Uma vergonha..

Tem que investir em segurança mesmo!

Anônimo disse...

Pior que a violência real é a violência da incompetência, de não não saber como resolver o problema. E ainda colocam nas ruas um carro falante dizendo, obviamente por causa das eleições: "A polícia está mais perto de você"! É para rir ou para chorar essa proximidade da polícia?
Sonia Amaral