sábado, 18 de abril de 2009

JoÕeS da SiLvA

Foto: Laiza Lemos (...)
Nós somos os joões da silva.
Nós somos os populares joões da silva.
Moramos em várias casas e em várias cidades.
Moramos principalmente na rua.
Nós pertencemos, como você, à família Silva.
Não é uma família ilustre; nós não temos avós na história.
Muitos de nós usamos outros nomes, para disfarce.
No fundo, somos os Silva.
.
Quando o Brasil foi colonizado, nós éramos os degradados. Depois fomos os índios. Depois fomos os negros. Depois fomos imigrantes, mestiços.Somos os Silva. Algumas pessoas importantes usaram e usam nosso nome. É por engano. Os Silva somos nós. Não temos a mínima importância. Trabalhamos, andamos pelas ruas e morremos. Saímos da vala comum da vida para o mesmo local da morte. Às vezes, por modéstia, não usamos nosso nome de família. Usamos o sobrenome "de Tal".A família Silva e a família "de Tal" são a mesma família. E para falar a verdade, uma família que não pode ser considerada boa família. Até as mulheres que são de família pertencem à família Silva.
.
(...)
A gente de nossa família trabalha nas plantações de mate,
nos pastos,
nas fazendas,
nas usinas,
nas praias,
nas fábricas,
nas minas,
nos balcões,
nas cozinhas,
em todo lugar onde se trabalha.
.
Nossa família quebra pedra,
faz telhas de barro,
laça bois,
levanta os prédios,
enrola o tapete do circo,
enche os porões dos navios,
conta o dinheiro dos Bancos,
serve no Exército e na Marinha.
Nossa família é feito Maria Polaca: faz tudo.
.
Apesar disso, João da Silva, nós temos de enterrar você é mesmo na vala comum.
Na vala comum da miséria.
Na vala comum da glória, João da Silva.
Porque nossa família um dia há de subir na política...
.
*Crônica de Rubem Braga
.
***

2 comentários:

Carmem disse...

Realmente somos Jõoes da Silva!...
Somos da famíli Silva!...

Muito bonito!...

Beijo...e doce final de semana!

Jac. disse...

O nosso Rubem Braga que
conseguia por tanta emoção
numas palavras poucas.

Essas me fizeram lembrar as
de João Cabral de Melo Neto:

"Somos muitos Severinos
iguais em tudo na vida
filhos de tantas Marias
mulheres de outros tantos..."

Muito carinho.