domingo, 17 de janeiro de 2010

Ai de ti,
Haiti!
o tremor do teu ai
a tua dor
sob pedras violentas
o teu sangue
humilhado
o teu nome
enterrado
mexeu a Terra
para ser
urgentemente humana
.
(RF)
.
Clik sobre as fotos >>vc vai vê-las ampliadas
***

7 comentários:

papistar_nunes disse...

Ai de mim sem ti Haití!
Não poderia ver a terra ser humanamente mexida.

Seria bom se não se fizessem necessários para que isso acontecesse, ouvir os teus e os meus ais.

Lisa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Real poema.De um real poeta.

Vanda Sequeira

Anônimo disse...

Belo poema.Téo

Lisa disse...

Tsunamis, Vulcões, Terremotos, e assim segue a vida na espera "da renovação".Senhor, quantas dores, quantos gritos, quantas lágrimas ainda teremos que ouvir e ver até que se consuma "a nova terra..o novo mundo"???. Tende piedade de nossos corações fracos e sensíveis. Haiti o primeiro pais a abolir a escravidão e hoje escravo de tanta dor!! Piedade Senhor!!!!!!!!!!!!!!

Lisa

Anônimo disse...

Poema excelente, poeta.

Dayse Monteiro

Anônimo disse...

Teu poema é verdadeiro, emocionante,triste, comovente.
Gosto de te ler. Visito este blog desde quando começou.E amigos que passei o endereço do blog do poeta
não se cansam de te elogiar.
E não pode ser diferente.Tu escreves com as mãos dos anjos e pensas como um homem sensível.
Sei que é carnaval. Mas não estou jogando serpetinas e confetes.Estou te escrevendo
o que sinto. Tu és um dos maiores do Pará.

Eliza Sampaio.