sábado, 6 de setembro de 2008

Que prisão tem a chuva




se quando cessa
.
continuamos dentro dela ? ...
.
* Ronaldo Franco ( Do livro > Cidade Velha )
.
****

4 comentários:

Anônimo disse...

Teu verso curto é um profundo retrato da solidão!
Amei.

Ana Guimarães

Anônimo disse...

Tua mínima poesia é uma infindável
multiplicação de sentimentos.Tu és show.

Jane Castro

CHRISGYS disse...

Meditando nessa poesia, poucas palavras dizendo tanto.

NAMASTÊ * POETA

Anônimo disse...

O seu poema dói dentro da alma.Abre
a janela da solidão.Lindo.

Angela Sales.