sábado, 26 de setembro de 2009

Leitores:Boníssimo Final de Semana

Fotógrafo:
não adianta pedir pose ao vento de sábado
E nem exija da chuva
a hora certa de chover
.
Fotografe:
a cidade sem muros
o vôo da moça cortando a manhã
o guarda-chuva como ave
sob as nuvens reticentes...
.
E amanhã (domingo)
revelarás
a moça
parada no ar
em sua íntima alegria
e o guarda-sol
ao jeito de ave na gaiola
ao jeito de amor caçado
prendido
nas folhagens da mulher
.
(RF)
.
***

7 comentários:

Alzira disse...

Q postagem leve... De ler e de olhar

papistar_nunes disse...

Só um bom poeta transforma a mulher na leveza de uma folhagem. Parabéns. smacksssssss

Anônimo disse...

Tu és um senhor poeta.Em leves palavras voas ao redor da mulher.Como um pássaro sempre apaixonado.Adoro o que tu escreves com tanta sinceridade.E suavidade.

Bella Valdez

Mone disse...

amei teu blog, voltarei sempre tá muito lindo aplausos querido,te convido a visitar meu blog tbém.

Anônimo disse...

Belo poema.

Elcy Pereira

CONSULTORIA UNIVERSITÁRIA disse...

Amigo Ronaldo,

Senti uma grande lacuna na homenagem as cantoras paraenses da ilustre NAZARÉ PEREIRA, tão querida por nós.
Aproveito esta oportunidade para informa-lo que ela foi lembrada no ultimo fantastico em um clip rodado em 1979.Veja no site: www.globo.com e busque o video com a musica que foi ao ar.

Grato

Anônimo disse...

Fantástica a forma que vc descreve como a visão de um fotógrafo a suavidade da mulher.
Parabéns Ronaldo.

Elaine Colonhezi.