quinta-feira, 8 de maio de 2008

Ferreira Gullar

Traduzir-se
.
Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo
.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.
.
Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.
.
Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.
.
Traduzir uma parte
na outra parte

- que é um questão
de vida ou morte -
será arte?

***

Um comentário:

Campo de Orqu�deas II disse...

Parabéns, Poeta Ronaldo Franco

Parabéns pelo incentivo à cultura, parabéns pela escolha dos poemas, lindos. Adoro Ferreira Gullar, Lya Luft, enfim, me dá gosto entrar aqui nesse espaço
beijos, da amiga
Karla Julia