quarta-feira, 24 de junho de 2009

Mar

* Mar maior que a terra,
mar do primeiro amor,
mar dos pobres pescadores maratimbas,
mar das cantigas do catambá,
mar das festas,
mar terrível daquela morte
que nos assustou,
mar das tempestades de repente,
mar do alto e mar da praia,
mar de pedra e mar do mangue...
.
Mar suave e oleoso,
lambendo o batelão.
Mar dos peixes estranhos,
mar virando a canoa,
mar das pescarias noturnas
de camarão para isca.
Mar diário e enorme,
ocupando toda a vida,
uma vida de bamboleio de canoa,
de paciência,
de força de sacrifício sem finalidade,
de perigo sem sentido,
de lirismo, de energia.
.
*Rubem Braga
.
***

Um comentário:

Odara disse...

Ah!! Essa ficou massa demais!