quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

"O poeta superior diz o que
efetivamente sente.
O poeta médio diz o que decide
sentir.
O poeta inferior diz o que julga
que deve sentir." "Nada disto tem que ver com a sinceridade.
Em primeiro lugar, ninguém sabe o que verdadeiramente sente: é possível sentirmos alívio com a morte de alguém querido, e julgar que estamos sentindo pena, porque é isso que se deve sentir nessas ocasiões.
A maioria da gente sente convencionalmente, embora com a maior sinceridade humana;
o que não sente é com qualquer espécie ou grau de sinceridade intelectual, e essa é que importa
no poeta."

Fernando Pessoa.
.
***

4 comentários:

Adina Bezerra disse...

Fernando Pessoa nos ensina caminhos e trilhas em como "arquitetar" nossos sonhos e construir os castelos poéticos no tempo real de nossa fantasia.

Yasmim Uchôa disse...

perfeito como sempre!!Pessoa a dizer oq deve ser dito!!

Márcia Corrêa disse...

E a gente sente, sente, sente... que às vezes dá uma canseira de tanto sentir.

Anônimo disse...

oi amigo! você arraza!! bjs Natália Azevedo