sexta-feira, 23 de abril de 2010

Sexta é o Dia D De beber sobre todas coisas
Todas as coisas negativas
Sobre as costas que carregam o tédio e o cansaço do mundo
Sobre o exercí(cio) de sobrevivência

Beber sobre as cabeças em regime de prisão perpétua

De beber sobre o arco-íris político.
De beber sob a chuva de promessas dos políticos
De levar a sério a conversa fiada


De não ser marginalizado por discordar

De fazer inveja aos homens de ternos e gravatas
De não bater continência pra ninguém
De manter a alegria e a gargalhada

De expulsar o individualismo, a competição
De rir de si mesmo
E de uma vez por todas não ouvir poemas recitados
De ser um socialista moreno literalmente
De cofiar os bigodes antes do sim e do não

Sexta é o Dia D
De sair de cima do muro
De não ser esnobe
De mostrar ginga e malícia

De estar sempre de olho nas minissaias
De não ser rico, apenas generoso
De ter o fôlego (no amor) de campeão de natação
De ser divertido e conciliador

De ter amigo de mão aberta
De expor ternuras
De saber ouvir
De não fingir

De mentir façanhas...

De ser um palmo menor do que a mulher amada
De pendurar vaidades e a conta no boteco
De engolir egos do tamanho do Mangueirão
De duplicar o poder de sedução

De ser técnico de futebol
De não ser só
De ser um revolucionário da espontaneidade

De não ser poeta, ser apenas um verso
De ser uma antologia etílica de amigos

De ser o que é
na sexta de não ser...
.
(RF)
.
***

6 comentários:

vitoria disse...

tio ronaldo amei mesmo .principalmente esse homem lindo da foto .voces sao de mais mesmoo ! sexta-feira é o dia D voces !rsrsrs..

besos , da sua sobrinha linda vitoria Barbosa !

Anônimo disse...

Lindo poema.

Leila

Anônimo disse...

Tu és um rei na sexta, meu poetinha.

Jane Barbosa

Anônimo disse...

Legal.Tu escreves uma oração para quem vive a noite.

Tomás Padilha

Anônimo disse...

Uma boa cartinha, poeta.

Sandro Sá.

Anônimo disse...

Digo: cartilha.