quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

O Desassossego de Fernando Pessoa

Ilustração: Júlio Pomar
*"Tudo me interessa e nada me prende."
.
*"Pari meu ser infinito, mas tirei-me a ferros de mim."
.
* "O único modo de estarmos de acordo com a vida é estarmos em desacordo com nós próprios. O absurdo é divino."
.
* " Mover-se é viver, dizer-se é sobreviver."
.
* "Sou postiço. Acordei sempre contra seios outros, acalentado por desvio."
.
*"Compreender é esquecer de amar."
.
* "Benditos os que não confiam a vida a ninguém."
.
* "Que coisa morro quando sou?"
.
* " Nunca amamos alguém. Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos."
.
* " Na vida de hoje, o mundo só pertence aos estúpidos, aos insensíveis e aos agitados. O direito a viver e a triunfar conquista-se hoje quase pelos mesmos processos por que se conquista o internamento num manicômio: a incapacidade de pensar, a amoralidade, e a hiperexcitação."
.
* "Nunca sabemos quando somos sinceros. Talvez nunca o sejamos. E mesmo que sejamos sinceros hoje, amanhã podemos sê-lo por coisa contrária.
.
***

5 comentários:

Jaquelyne disse...

Fernando é o poeta eterno do desassossego. Há também em mim essa procura do desconhecido...
Inquietações de Poeta, alma que não descansa...

Abraços, querido amigo!

Betha M. Costa disse...

Amo, Pessoa!Bjims.

rasena disse...

olá!
vim retribuir a visita e me apaixonei pelas palavras suas e de outros. agora sou fã.
abraços

Maisa Sonia disse...

Olá, estou apaixonada pelo seu blog, agradeço por estar seguindo meu singelo blog.Como vc leu é o meu primeiro, então tenho muito o que aprender.Pode saber que já tem mais uma fã.
Bjos no seu coração

martagloria disse...

Amo Fernando Pessoa!
O mundo vive num grande desassossego.
Abraços!