sábado, 14 de fevereiro de 2009

O Homem do Violão Azul - Wallace Stevens

O homem do violão azul - Fragmentos...
.
Homem curvado sobre violão
Como se fosse foice. Dia verde.
.
Disseram: " É azul teu violão,
Não tocas as coisas tais como são".
.
E o homem disse: "As coisas tais como são
Se modificam sobre o violão".
.
E eles disseram: "Toca uma canção
Que esteja além de nós, mas seja nós".
.
No violão azul, toca a canção
Das coisas justamente como são".

*
Então a vida é isso: as coisas como são?
Ela tateia sobre o violão.
.
Mas numa corda só, toda essa gente?
E tudo que eles são, tão totalmente,
.
E tudo que eles são, o fraco e o forte,
E tudo que eles são, a vida e a morte?
.
E loucamente os sentimentos clamam,
Zunindo como moscas no outono,
.
E a vida é isso: as coisas como são,
Este zunido azul do violão.
.
*
(...) Tom-tom, cést moi. O violão azul
E eu somos um só. (...)
.
(...) Não ser eu e no entanto tem
De ser. Não poderia ser mais nada.
.
*
(...) Então você caminha nesse espaço
E nada sabe da loucura do espaço,
.
Das suas jocosas procriações?
Jogue fora as luzes. Que nada se interponha
.
Entre você e as formas que lhe restam
Quando a casca da forma é destruída.
.
Você tal como é? Você é você.
O violão azul o surpreende.
.
***

32 comentários:

Anônimo disse...

Bom Dia, Ronaldo !!!
Parabéns pelo bom gosto e por difundir a cultura, não somente a paraense. É POR NECESSITARMOS EM NOSSO PAÍS de consciência crítica e reflexiva e mais poesia.Ainda não te conhecia e agora já adicionei aos meus favoritos,o seu blog é fantástico. "O Homem do violão azul" é belíssimo....
Um abraço.
Marília Danielle.

Jac. disse...

Esse poema me lembra um outro
distante poema. A imagem e a
musicalidade me trazem Paul
Verlaine com os seus versos...
'Les sanglots longs des violons...'

Bela imagem e som!
Que as cores das tintas não
se inventa, apenas a forma de
as jogarmos sobre a tela.
Abraço.

Anônimo disse...

ola boa tarde e muito bom saber que nos paraenses temos um poeta tao inovador .parabens pelo poema "o homem do violao azul.

Anônimo disse...

ola boa tarde e muito bom saber que nos paraenses temos um poeta tao inovador .parabens pelo poema "o homem do violao azul.

leia.brankela@hotmail.com

Anônimo disse...

olá! Ronaldo,obrigado por compartilhar com a cultura paraense,tive a oporunidade de te conhecer através desta poesia fantástica " homem de violão azul".Ruth Nogueira.

Monica disse...

Boa tarde, Ronaldo...
Você esta de parabens pelas belissimas obras que cria atraves da cultura paraense onde critica, e expressa suas emoções em suas poesias interfaces.
Beijos...
Monica Palheta

Elcilene disse...

Olá Ronaldo, parabéns pelo conteúdo do poema, mais eu fiquei a ver navios porque não consegui entender a sua mensagem.
Um abraço...
Elcilene

fernanda carla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DINA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DINA disse...

APRECIEI SEU POEMA COM BASTANTE ATENÇÃO E RELACIONEI COM A VIDA, POIS EXPRESSA VÁRIAS EMOÇÕES.UM ABRAÇO

EDINEA

ronaldo franco ( RF) disse...

O poema "O Homem do Violão Azul" é de Wallace Stevens.
Um grande poeta americano do século XX.

"Stevens investiga com lucidez a questão das relações entre as "coisas como são" do mundo empírico e os produtos da criação artística",segundo Paulo Henriques Britto.

Anônimo disse...

Boa Noite Ronaldo Franco em meu ponto de vista compreendir quando você diz "O violão e eu somos um só" pois você e a cultura paraense se tornam um só transmitindo assim a sua expressão critica e suas emoçôes.

Marta Carolina.
14 de fevereiro de 2009 18:50

izabel leandra disse...

olá,pela 1ª vez estou visitando o seu blog e o pouco tempo que fiquei ,entendi o motivo da professora de te-lo indicado.boa noite!izabel leandra

Anônimo disse...

Olá,Ronaldo,gostei muito do poema: ''O homem do violão azul''.O qual fiz uma analógia a minha vida hoje.
Na verdade sinto-me as próprias cordas do violão,tateando-a a cada som em busca de ''um'',que me liberte desse casulo e me leve a voar como uma borboleta na satisfação do ego.
Um grande abraço:Zorina Neves.

Renata Medeiros disse...

dou-lhes os parabens pelo aniversario do blog e tambem pela qualidade que aqui encontrei. voltarei mais vezes...



Obrigada pela visita ao meu cantinho

bjs

Eduardo Aleixo disse...

Venho visitá-lo amigo.Gostei do que li. Somos o violão, somos a corda do violão, somos um no todo e o todo em cada um de nós. Neste todo...eu toco o meu instrumento. Que cada um saiba qual o instrumento que toca. Se calhar, já estou longe do que o o poema queria dizer...Mas que importa? O que importa é o violão e a orquestra do universo!
Um abraço.Eduardo Aleixo

Cristiane Marino disse...

Criativo e inovador!!!
É prazer ler o que você coloca aqui.
É uma analogia a vida né.
Um grande abraço
Beijo

Anônimo disse...

olá Ronaldo seu poemas são belissimos adorei o " o Homem do violão azul".quero ainda lhe parabenizar pelo aniversario do blog, que vc continue sendo sempre inovador em seu poemas como ja disse eles são belissimos, abraço Renata Ramos.

Andrea Guim disse...

Oi, Ronaldo!!!
Obrigada por acompanhar o Blog'Arte!!! Seu blog é um paraíso! Ler tantas belas palavras é um bálsamo! Tenho na minha lista de blog's legais 2 poetizas/escritoras muito talentosas, você já deu uma espiada? Adoro ir lá pra "alimentar" minha alma. Agora também tenho aqui!!!
Um abraço!!!

Anônimo disse...

olá Ronaldo Franco. As palavras podem organizar o pensamento de maneiras diferentes. As palavras funcionam como um instrumento para pensar.aprendemos por tentativa e erro ou imitando alguém ou porque uma pessoa nos transmite intencionalmente um conhecimento.bjosssssss e Boa Noite p/você, fica com deus..... vou acessar o teu blog sempre que poder!!!!!

andreza raquel pinheiro disse...

olá Ronaldo Franco. As palavras podem organizar o pensamento de maneiras diferentes e as palavras funcionam como um instrumento para pensar. Aprendemos por tentativa e erro ou imitando alguém ou porque uma pessoa nos transmite intencionalmente um conhecimento. Bjosssssss e fica com deus. BOA NOITE!!!!!!!!. vou acessar o seu blog sempre que poder......

Tecnenfermaginando disse...

poeta

poeta

poesias e sonhos
tão reais
de tão reais
pura poesia!

bom domingo!

lorena disse...

Lorna Feitosa
Bom dia,Ronaldo!!!
Adorei conhecer seu trabalho,espero que vc continui contibuindo com a cultura paraense.

Anônimo disse...

BOM DIA RONALDO, ADOREI SEU POEMA ,POIS ELE MUITO AS MARAVILHAS QUE O NOSSO PARÁ POSSUI.

PARABENS!

ANDREA MARQUES

Anônimo disse...

BOM DIA RONALDO, ADOREI SEU POEMA,POIS ELE RETRATA AS MARAVILHAS QUE O NOSSO PARÁ POSSUI E ESTÁ RELACIONADO COM NOSSAS EMOÇÕES.
PARABENS
ANDREA MARQUES

Maria Dilce Santos disse...

Olá, Ronaldo.
O poema é muito bonito. Uma forma de retratar a vida de maneira amena, simples, mas com beleza e com leveza. As rimas são bem feitas: um poema como já não se vê hoje.
Parabéns pela escolha. Não conhecia seu trabalho, mas, a partir de hoje, sempre que houver oportunidade, lerei suas mensagens.

Maria Dilce Santos
mdilcesantos@gmail.com

Mundo da Patinação disse...

Que legal que vc gostou ...
bjos ..vou adicionar como favoritos ...

Dani Lispector disse...

"Irei até onde o ar termina, irei até onde a grande ventania se solta uivando, irei até onde o vácuo faz uma curva, irei onde meu fôlego me levar."

Clarice Lispector in A Hora da Estrela

izabelle disse...

boa noite, Ronaldo !

gostei muito do seu trabalho, pois com certeza me ajudará bastante em meus estudos!

Izabelle Valente

lorena disse...

boa noite, ronaldo franco!!! parabéns pelo seu belo poema que essa sua obra possa traduzir em nossa mentalidade bons frutos para que possamos ter mais tarde um bom exôdo em nosso cotidiano.um beijo.

Anônimo disse...

Boa tarde,Ronaldo!!
Hoje em dia éraro lermos poemas de escritores,homens de uma sensibilidade a flor da pele,parabéns pela sua escolha lhe admiro por isso.Li o poema "O homem do violão azul" na verdade acor não quer dizer nada e sim a relação do homem e sua cultura musical que transmite as emoções que as pessoas querem ouvir,em diferentes etapas de vida.
Um grande abraço.
walminete.

José Carlos Brandão disse...

Gosto muito desse poema, que, além de excelente poema, é uma necessa´ria reflexão sobre a poesia.
Um abraço.