quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

2 poemas de Rosângela Darwich

Rosângela Darwich


1.

Posso te dar uma sala cheia de livros para que sejas um
dentre os meus livros nessa sala tua.
Posso te dar a alma que eleva um poema
e, além dela,um copo de palavra.
.
Queres ir de um estado sólido, frígido,
à incandescência da página?
Queres ser rastro dessas letras fechando a minha mão?
.
Serás eternamente o que quer que sejas desde o início,
livre de tempo e destino.Me verás passando
como se ainda sonhasses. Como se ainda sonhasses,
não te surpreenderás comigo.
***

2.

Há dias para as palavras
e dias mudos
.
Cada entre vozes e silêncio,
há dias impenetráveis
e dias cúmplices.
.
Sob profetas e arbítrios,
há dias só para os deuses
e dias que se interrogam como qualquer homem.
.
***

3 comentários:

KHA disse...

nossa... de chuvar a alma... por inteiro.

Rosângela disse...

Obrigada, Ronaldo! =)

Tolice disse...

É tb de silenciar os olhos e viajar com o coração...minha eterna professora!!