domingo, 25 de janeiro de 2009

Poeta Alfredo Garcia


A vida e o tempo
.
Tenho medo das alucinações da cidade.
Cada esquina guarda um crime
e não há guardas nas esquinas.
Cada carro, cada construção
parece um possível inimigo
à espreita.
Tenho medo das alucinações da cidade,
da realidade
por que não?
Melhor morar num lugar ermo
sombra da mata
onde sonha um menino
vendo seu catavento.
Melhor viver naquele lugarejo
onde um velhinho boceja na porta de uma casa de madeira.
.
e a vida e o tempo
demoram a passar
.
***
.
Jornalista e radialista, membro-fundador da Associação Paraense de Escritores.
Bacharel em Comunicação Social, tem nove livros publicados e adotados em escolas de Belém.
.
***

Um comentário:

BAZAR DE MIUDEZAS disse...

RONALDO FRANCO:
SÓ TU MESMO PARA DESENTERRARES ESTE POEMA QUE ATÉ MESMO EU HAVIA ESQUECIDO.
LENDO, PENSO QUE NÃO ENVELHECEU, DIFERENTE DE MIM, QUE CHEGO AOS 48 DIA 1º DE FEVEREIRO.
OBRIGADO PELO CARINHO!