quarta-feira, 27 de maio de 2009

Versos de Maiacovski

* Eis-me então 
imenso
debruçado à janela
fundindo a vidraça
sob a fronte escaldante.
Virá o amor ou não?
Será grande ou pequeno?
Como há de ser grande
se seu corpo é tão pequenino?

***
Do veludo de minha voz
Umas calças pretas mandarei fazer.
Farei uma blusa amarela
De três metros de entardecer.
E numa Nevski mundial com passo pachola
Todo dia irei flanar qual D.Juan frajola.
(...)
Mulheres que amais minha carcaça gigante
E tu, que fraternalmente me olhas, donzela.
Atirai vossos sorrisos ao poeta
Que, como flores, eu os coserei
À minha blusa amarela.

***
Mesmo quando
bêbados de sangue de  Baco
uma batalha se fere,
as palavras de amor não murcham.

***
Na alma não tenho um só cabelo branco.
Nenhuma ternura senil em mim.

***
Serei, se quiserdes,
impecavelmente delicado.
Não serei um homem.
Serei 
uma nuvem de calças.

***
Meu rosto
quando estou
absolutamente tranquilo.
Eu para mim é pouco.
Algo se empenha em sair de mim
como um louco.

***  
Hoje
uma mocinha qualquer
tem mais sol
na unha do dedo mindinho
do que antes havia sobre  todo o globo terrestre.

***
Mas o trabalho do poeta
é muito mais difícil.
Pescamos gente viva e não peixes.

***
Nós polimos as almas
com a lixa do verso

***
Doravante não sou mais dono de meu coração!
Nos demais - eu sei,
qualquer um sabe -
o coração tem domicílio no peito.
Comigo
a antomia ficou louca.
Sou todo coração -
em todas as partes palpita.

***
Não acabarão com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço o juramento:
Amo
firme,
fiel
e
verdadeiramente.

***
Eu tinha um belo jardim:
água,
ar,
um coração,
um leito.

***

3 comentários:

papistar_nunes disse...

Um dos poemas mais lindos que lí na minha vida, só que de outra forma:
Do veludo da minha voz vou mandar fazer minhas calças pretas
De tres metros de meio dia, minha blusa amarela
E voces mulheres que não vêem em mim senão minha carcaça
E voces crianças que não vêem em mim senão um irmão,
joguem seus beijos pela janela
que eu vou costurá-los em minha blusa como se fossem flores amarelas.
wwwwwwwoooooooowwwwww Maiakovski foi único!!! Bjs e obrigada por este blog lindo.

Elainesartori disse...

Serei se quiserdes,
impecavelmente delicado.
Não seri om homem.
Serei
uma nuvem de calças.

(perfeito Ronaldo, Adorei!)

"Pescar gente viva"...não é fácil.

Te amo.
Elaine Colonhezi.

Elaine Colonhezi disse...

Na alma não tenho um só cabelo branco.
Nenhuma ternura senil em mim.

Belissimo!!!
Perfeito.
Beijos
Elaine Colonhezi