sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Bela bela


(...)Bela bela
mais que bela
mas como era o nome dela?
Não era Helena nem Vera
nem Nara nem Gabriela
nem Tereza nem Maria
Seu nome seu nome era...
Perdeu-se na carne fria
perdeu-se na confusão de tanta noite e tanto dia
perdeu-se na profusão das coisas acontecidas
constelações de alfabeto
noites escritas a giz
domingos de futebol
enterros corsos comícios
roleta bilhar baralho
mudou de cara e cabelos mudou de olhos e risos mudou de casa
e de tempo: mas está comigo está
perdido comigo
teu nome
em alguma gaveta (...)
.
* Versos de Ferreira Gullar > "Toda Poesia" > Civilização Brasileira > 2a. Edição.
***

Um comentário:

Adina Bezerra disse...

... e quem era, quem era ela?
que ao luar me sorria
na noite naquela janela
aonde nem janela havia? (MT)

Belo, Belo, Bravo! Bravo!