sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Memórias > Carmen Palheta

MEMÓRIA
Carrego na alma, belos, mas também frágeis momentos que vivi. Tristeza, mágoa e até vergonha por alguns atos que cometi. Mas tenho espaço de sobra para milhares de recordações maravilhosas que ficaram tatuadas, para sempre, em mim.


MEMÓRIA II
Procuro não acumular rancor. Ele corrói as paredes do espírito. E reativa memórias doloridas. Não vale a pena.

MEMÓRIA III
E na memória serena desta véspera de sexta, acumulo a gratidão por mais um dia que sobrevivi entre tantas memórias pesadas que passam por aqui, nesta tela global, porém pequena...

MEMÓRIA IV
EM POEMA...

Minha memória alcançou teu cheiro
Teus códigos secretos,
tua respiração, tua língua
Algumas janelas que ficaram abertas
Algumas ferramentas que não acionamos...

E recuperei, de forma solitária,
antigos arquivos
de cenas recentes
Fiz download de todos.
E, antes de fechá-los,
providenciei um backup pra nós dois.
Quando quiseres acessá-los...
... pede-me a senha.

***

2 comentários:

Adina Bezerra disse...

Carmen expressa de forma transcendental almas, querências, anseios e verdades contidas no peito... sua palavra lavrada nos leva a profundos mergulhos de reflexão.

Bravo amiga, quero sempre estar pertinho de tu.

Alexey disse...

...