sexta-feira, 7 de março de 2008

Festivais do Brasil


Um comentário:

Abdias disse...

Murmuram

O mar murmura madrugada a dentro.
Acorda o sol com lambitação.
Areia espuma prazer, espalha-se pela práia ao amanhecer.
Tu!
e Tu?
Embrulhas-te sonhos em cantigas kilombolas, distaaaaaaaante...
lonje, bem perto ao porto, pronto, partí, parindo saudades moucas.
Eu!
e Eu?
Parí um poema sem contrações, sem sangue, sem menstrou, sem cólicas.
Abortivei um verso sem bula, sem blusa, sem musa, sem endorfina, morfina, mufina, menina.
Abortivei um poema sem cordão umbilical.