terça-feira, 25 de março de 2008

Vicente sem Fim

"Depois de Guimarães Rosa, o paraense Vicente Cecim é o responsável por um dos mergulhos mais fantásticos e essencias que a literatura brasileira já realizou sobre o sentido do homem."
*Antonio Hohlfeldt
.
* Do livro O Serdespanto ( Editora ímanedições):

(...) A vida.
E, nela, alguém escreve.
E o que escreve, O Livro, é a Ponte,entre a vida-lá e o vivendo a vida aqui, em mim: alguém que escreve.

O livro é a vida? Não, o Livro não é a vida.É a outra vida.
Mas sendo outra vida é
a vida num rumor que se arrasta paralelo, ao lado dela.

(...) Para que serve a vida-escrita?
- É um instrumento, para ver, tentar abrir, dobra a dobra.
insistindo,
a vida real.

E por que alguém escreve?
- Para isso, o que foi dito acima, tentar abrir, dobra a dobra, insistindo.

(...) Alguém vive, alguém escreve. A vida está nele, a vida está em si. A vida passa

através dele e daquilo que escreve.Ela
também está aí, nele, estando lá, em si mesma.

Aberta.Hermedonhamente fechada.
Mas ainda é a vida. Mesmo que seja de uma outra forma, a vida.

Se disse que : A vida é real.
A vida-escrita, o Livro, não é real.

E se disse: Aquele que escreve é real, mas a Pessoa que cria não é real.

O real = o visível: homem ou vida, há todas essas coisas da vida ao redor de nós.

****

2 comentários:

José Carneiro disse...

Ronaldo:

Teu blog é criativo, diversificado e, sobretudo, de qualidade. Ele areja a paisagem virtual. Parabéns e grande abraço.

José Carneiro

Adina disse...

"E se disse: Aquele que escreve é real, mas a Pessoa que cria não é real."

Nisto consiste em escrever e ter o registro em livros impressos, assim fazemos de nossas sonhadoras vidas uma partícula de realidade...