terça-feira, 14 de outubro de 2008

A Chuva Da Tarde

A chuva da tarde

É difícil dizer como é a chuva, e o que significa.
.
É uma lágrima no rosto da tarde? O real fora do real?.
.
É como uma mulher que olha para baixo para evitar o olhar do amor
ou
uma mulher que chega para cavar goteiras de esperas?
.
E depois
passará num piscar do sol?
.
E o resto
serão nuvens?...

(RF)

***



7 comentários:

Marco André disse...

É sempre bom a gente se molhar na chuva das suas palavras, elas deslizam feito pingos de sabedoria. Passa no meu tb que tem poesia nova.
www.marcoandrecarimblog.blogspot.com

Beijos

Anônimo disse...

A pele simbólica de suas palavras
molha-se na feroz chuva do cotidiano.
Belo poema.Lindo!

Adorei,poetinha de Belém.

Jaqueline do Rio de Janeiro.

Adina Bezerra disse...

Eu já comentei na sua página, mas deixo aqui meu registro sobre sua Chuva da Tarde:
Se eu apenas dissesse que é belo, seria leviana.
Chuva da Tarde traz a reflexão do subjectivismo poético que sempre nos apresenta.

Besos querido amigo

Anônimo disse...

Tu sabes emocionar os corações femininos,querido poeta.
Elaine Alves.

katia disse...

Sou uma simples mulher e sou suspeita... rsrs... amo amar o banho de chuva.... e na chuva de suas palavras me perco de encanto...
obrigada!!!
lindíssima arte de poetar...
Beijos...
amei a imagem...
kátia pérola.
ou kátia claudino caetano pereira- Ourinhos-sp.
eneqeav

Anônimo disse...

Amei,amo o que tu escreves.

Ana Carolina Menezes

Anônimo disse...

Correção: SERÁ NUVENS...Desculpem-me

Ronaldo Franco.