sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O nosso fado

"Somos muitos puros, um no outro.
Muito iguais, muito devassados,um para o outro. Podemos falar, sim, já falamos.

Mas, na realidade, não temos nada que contar um ao outro. Em nosso caso, desgraçadamente, seria chegar, abraçar e deixar sentir.

Mas cadê peito? Continuemos, então, a viver dos acasos, até que um dia, seja o mais importante e cumpra, afinal, o nosso fado".

(Poeta e jornalista Antônio Maria)

***

3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo.

Ana

Adina Bezerra disse...

Belo poema, leve, sem fado, rsrsrs

Anônimo disse...

O que esse poeta escreve é maravilhoso.

Lucy Alves.