domingo, 26 de outubro de 2008

Poeta Antonio Juraci Siqueira - uma página de rios...


Boto 60

(Poeta Antonio Juraci Siqueira)


Eu venho de um mundo
que tu não conheces:
do onde, do quando,
do nunca, talvez.....
.
Eu venho de um rio
perdido em teus sonhos,
um rio sondável
que corre em silêncio
entre o ser e o não ser.
.
Eu venho de um tempo
que os homens não medem,
nenhum calendário
registra os meus dias.
.
Sou filho das ondas
que geme na praia,
sou feito de sombras
de luz e luar
e trago em meu rosto
.
mandinga e mistério
e guardo em meus olhos
funduras de rio.
.
Cuidado, cabocla!
Cuidado comigo
que eu sou sempre tudo
o que anseias que eu seja:
- teus ais, teus segredos,
tua febre, teu cio...
.
Se em noites de lua
sentires insônia
e a fome de sexo
queimar as tuas entranhas,
a sede de beijos
tua boca secar
e em brasa o teu corpo
meu corpo exigir,
contigo estarei
na rede do encanto
cativo nas malhas
da teia do amor.
.
E quando os teus olhos
fitarem meus olhos,
e quando os meus lábios
teus lábios tocarem,
e quando os meus braços
laçarem o teu corpo,
e quando o meu ser
em teu ser penetrar,
só então saberás
quem sou e a que vim.
.
E assim que a semente
do amor, do desejo,
vingar no teu ventre
gerando outro ser,
não mais estarei
contigo. Somente
a minha lembrança
permanecerá
boiando nas águas
barrentas, confusas,
de tua memória
cansada, febril...
.
- Foi sonho ? - Foi fato ?
Ninguém saberá!...
******

5 comentários:

Antonio Juraci Siqueira disse...

Meu irmão poeta, Ronaldo Franco,
se ser citado em seu Blog já motivo para ficar inchado de orgulho, imagine, então ser homenageado neste que é, sem dúvida, um dos mais belos blogs de literatura de nossa terra!
Como ainda não inventaram uma palavra melhor para dizer obrigado, só me resta repetir:
O B R I G A D O !!!

Antonio Juraci Siqueira

Adina Bezerra disse...

Este boto é intrigante, certa vez eu declamei este poema...

CIO

Acordo inquieta na madrugada
Não compreendo o que quero
Sinto meu corpo incendiar
Parecendo chamas do inferno.

Na intensidade do calor
Um forte cheiro exala
Oriundo de minhas entranhas
Percebo-me devassa.

Sinto-me uma leoa no cio
Querendo sua presa alcançar
No encanto - magia de bicho,
Em verde mata a decantar,

(Adina Bezerra – 14.09.05 - 22h30min Belém-PA)

...e ele entrou com o poema aqui escrito, nossa, quanto risco o meu, rsrsr

AMO O JURACI, ELE MERECE TODO O NOSSO CARINHO.

Dáguima Verônica de Oliveira disse...

Antonio Juraci Siqueira, para mim um poeta completo!Já li mais de 50 livros dele e cada vez me apaixono mais pela literatura desse gênio.

Andréa Maroja Simões disse...

Poeta Antonio Juraci Siqueira nosso pássaro pleno!

Andréa Maroja Simões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.